ASCES

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.asces.edu.br/handle/123456789/627
Título: Avaliação da atividade antimicrobiana e bioensaio toxicológico frente às larvas de Artemia salina Leach. do extrato seco da catuaba (Trichilia catigua ADR. JUSS.)
Autor(es): SILVA, Amanda cavalcante
MACIEL, Janaína Marques Silva
LOPES, Roberta Laís Figuerôa
COIMBRA, Cynthia
Palavras-chave: Plantas medicinais
Toxicidade
Antimicrobianos
Data do documento: Jul-2016
Abstract: Evaluation of antimicrobial activity and toxicological bioassay front to the larvae of Artemia salina Leach. the dried extract of catuaba (Trichilia catigua Adr. Juss.) Often the debate on antimicrobial resistance. In order to find new therapeutic alternatives for this problem, this study aimed to determine the antimicrobial activity of dry extract Trichilia catigua ADR. JUSS. and evaluate their toxicity (CL50). Popularly known as catuaba, is a tree that occurs widely in Brazil, characterized by the population for its aphrodisiac and toning effects. The extract of this plant was obtained by ethanol maceration and its antimicrobial activity evaluated by wells technique of employment for the determination of minimum inhibitory concentration and evaluation of the inhibitory power. It was observed that did not present the same compounds responsible for microbial inhibition front of the strains of Escherichia coli, Staphylococcus aureus, Streptococcus spp., Salmonella spp., Shigella spp. and Candida albicans. About evaluation of toxicity (CL50) was used bioassay with Artemia salina Leach, obtaining a median lethal concentration 3,13 mg/mL, which characterizes catuaba as non-toxic.
Resumo: É frequente o debate sobre resistência microbiana. Com o intuito de encontrar novas alternativas terapêuticas para a resolução deste problema, o presente estudo objetivou determinar a atividade antimicrobiana do extrato seco da Trichilia catigua Adr. Juss. e avaliar sua toxicidade (CL50). Conhecida popularmente como catuaba, é uma árvore que ocorre amplamente no Brasil, caracterizada pela população por seus efeitos afrodisíacos e tonificantes. O extrato deste vegetal foi obtido por maceração etanólica sendo sua atividade antimicrobiana avaliada pelo emprego da técnica de poços para determinação da concentração inibitória mínima e avaliação do poder inibitório. Observou-se que o mesmo não apresentou os compostos responsáveis pela atividade antimicrobiana frente às cepas de Escherichia coli, Staphylococcus aureus, Streptococcus spp., Salmonella spp., Shigella spp. e Candida albicans. Sobre a avaliação da toxicidade (CL50), utilizou-se o bioensaio com Artemia salina Leach, obtendo-se uma concentração letal média de 3,13 mg/mL, o que caracteriza a catuaba como atóxica.
URI: http://repositorio.asces.edu.br/handle/123456789/627
Aparece nas coleções:TCC - Farmácia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
artigo final catuaba.pdf237,38 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.