ASCES

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.asces.edu.br/handle/123456789/366
Título: Estetoscópio como agente de infecção cruzada: uma revisão
Autor(es): MELO, Clyvia Menezes Sales de
COUTO, Francisco Enderson Simões
OLIVEIRA, Sibele Ribeiro de
JÚNIOR, Agenor Tavares Jácome
Palavras-chave: Estetoscópio
Contaminação
Bactéria
Infecção hospitalar
Data do documento: Jul-2016
Abstract: Introduction: The stethoscopes are working tools used by various health professionals, used in the vast majority of the time, from one patient to another, often without a proper hygiene after its use. Several studies have identified that the main micro-organisms found in these instruments are of the genus Staphylococcus spp. and Acinetobacter spp., causative agents of a series of primary infections of the bloodstream. Objectives: the objective of reviewing the literature regarding the levels of contamination and main microorganisms found in stethoscopes used by health professionals, their possible causes and relationship with nosocomial infections. Materials and methods: we selected 14 articles in Portuguese and English, published in the period from 2009 to 2015 found in SciELO databases and Bireme, with the following keywords: stethoscope, air pollutants, bacillus subtilis, cross infection, for the completion and the work. Results: the articles analyzed, it was observed that most brought reports of bacterial contamination in the stethoscopes with the following microorganisms: Staphylococcus aureus, Staphylococcus coagulase negative and Acinetobacter baumannii, important infectious agents that can cause serious complications in hospitalized patients, especially when multidrug-resistant to antimicrobials used. Conclusions: there has been a series of reports about high frequency of contamination by potential may be, stethoscopes, source of cross-infection in hospitals. This could be mitigated with a more effective disinfection of the same, before and after contact with each patient.
Resumo: Introdução: Os estetoscópios são ferramentas de trabalho utilizadas por diversos profissionais da saúde, usados, na grande maioria das vezes, de um paciente para outro, muitas vezes, sem uma higienização adequada após seu uso. Vários estudos identificaram que os principais microrganismos encontrados nestes instrumentos são do gênero Staphylococcus spp. e Acinetobacter spp., agentes causadores de uma série de infecções primárias de corrente sanguínea. Objetivos: Objetivou-se revisar a literatura quanto aos índices de contaminação e principais microrganismos encontrados nos estetoscópios utilizados por profissionais de saúde, suas possíveis causas e relação com infecções nosocomiais. Materiais e Métodos: Foram selecionados 14 artigos na lingua portuguesa e inglesa, publicados no período de 2009 a 2015 encontrados nas bases de dados SciELO e Bireme, com os seguintes descritores: estetoscópio, contaminação, bactéria e infecção hospitalar, para a realização e confecção do trabalho. Resultados: Dos artigos analisados, foi observado que a maioria trazia relatos de contaminação bacteriana nos estetoscópios com os seguintes microrganismos: Staphylococcus aureus, Staphylococcus coagulase negativo e Acinetobacter baumannii, importantes agentes infecciosos que podem causar complicações graves nos pacientes internados, principalmente quando multirresistentes aos principais antimicrobianos utilizados. Conclusões: Verificou-se uma série de relatos sobre alta frequência de contaminação pelos estetoscópios podendo ser, em potencial, fonte de infecção cruzada no ambiente hospitalar. Esta poderia ser atenuada com uma desinfecção mais eficaz dos mesmos, antes e depois do contato com cada paciente.
URI: http://repositorio.asces.edu.br/handle/123456789/366
Aparece nas coleções:TCC - Biomedicina

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ESTETOSCÓPIO COMO AGENTE DE INFECÇÃO CRUZADA.pdf192,17 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.