ASCES

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.asces.edu.br/handle/123456789/1333
Título: Situação de saúde das pessoas privadas de liberdade no sistema prisional
Autor(es): LEMOS, Laís Stéphanie Cordeiro
GUALBERTO, Luana Ingrid Batista
NOGUEIRA, Luanna Izabella Oliveira
WANDERLEY, Thyago da Costa
WANDERLEY, Paula Isabel Bezerra Rocha
Palavras-chave: Enfermagem
Atenção à saúde
Saúde carcerária
Data do documento: 30-Dez-2017
Resumo: O Sistema Penitenciário Brasileiro apresenta problemas como a superlotação, falta de higiene, saúde, rebeliões e a falta de aplicabilidade do princípio da dignidade da pessoa humana. Tais problemas podem provocar o adoecimento daqueles que estão submetidos a estas situações. Objetivo: Conhecer a situação de saúde da Penitenciária Juiz Plácido De Souza da cidade de Caruaru-PE. Métodos: Trata-se de um estudo documental descritivo, de caráter quantitativo e longitudinal-retrospectivo entre os detentos de uma Penitenciária em Pernambuco. A mostra foi formada por 297 fichas de identificação e prontuários. Os dados foram tabulados no Microsoft Office Excel® 2013 e analisados pelo pacote estatístico SPSS através de frequência simples e teste exato de Fisher. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa do Centro Universitário Tabosa de Almeida e atendeu às considerações éticas da Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde. Resultados: A média de idade foi de 29 anos, em sua maioria solteiros com escolaridade de ensino fundamental completo. Dentre diversas patologias encontradas, as mais frequentes foram tuberculose, doenças de pele, sífilis e HIV/AIDS correspondendo às doenças mais frequentemente adquiridas durante o período do cárcere. Houve relação entre o tempo de prisão a adoecimento. Conclusão: Os agravos de saúde apresentados entre os detentos muitas vezes não estão relacionados a assistência de saúde prestada, mas sim pela sua superlotação, proporcionando assim a disseminação de doenças infecciosas mais facilmente, visto que as doenças de maiores prevalências são infectocontagiosas.
URI: http://repositorio.asces.edu.br/handle/123456789/1333
Aparece nas coleções:TCC - Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO TCC FINAL.pdf449 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.