ASCES

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.asces.edu.br/handle/123456789/1037
Título: Identificação de bactérias contaminantes isoladas de amostras de plantas medicinais do agreste Pernambucano
Autor(es): MELO, Alexandre da Silva Araújo
Palavras-chave: Plantas medicinais
Contaminação
Bactérias
Higienização
Data do documento: 30-Jun-2017
Resumo: Desde muito tempo, buscava-se uma saída para aqueles que têm sensibilidade e resistência a determinadas classes de medicamentos e isso levou a procura por formas menos agressivas ao corpo, evitando efeitos colaterais que são comuns em determinados medicamentos convencionais. A saída encontrada foi através das plantas medicinais, pois são produtos de fácil acesso, são naturais e possuem efeitos terapêuticos. Contudo, devido a certos modos de plantio, colheita, conservação e venda com pouca higienização, aquilo que é utilizado para melhorar a saúde pode vir a trazer efeitos adversos, causados por microrganismos patógenos que podem estar presentes nas plantas. Desta forma, o objetivo do presente estudo é fornecer dados científicos para analisar quais são os micro-organismos que podem ser encontrados nessas plantas e assim saber quais os malefícios causados por estas formas de vida. Para busca dos resultados, foram estudadas cinco espécies de plantas compradas na feira do parque 18 de Maio, em Caruaru – PE, bastante comuns na medicina popular, sendo elas: aroeira, capim-santo, erva-cidreira, mastruz e mulungu, que foram levadas a laboratórios para determinação do fenótipo das bactérias gram positivas ou negativas, testes bioquímicos como a catalase, coagulase e DNAse, além de um antibiograma utilizando: amoxicilina—ácido clavulânico, ampicilina, ceftriaxona e gentamicina. Após as diferentes análises, constatou-se que das plantas estudadas o mulungu e o capim santo apresentaram uma contaminação por bactérias patógenas gram-negativas como a Escherichia coli; a Aroeira e o Mastruz apresentaram contaminação por Klebsiella enquanto que as demais espécies estudadas demostraram a presença de outras bactérias como bacilos e Staphylococcus. Portanto, fica clara a necessidade de mais vigilância e controle da produção e venda de plantas medicinais.
URI: http://repositorio.asces.edu.br/handle/123456789/1037
Aparece nas coleções:TCC - Farmácia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC Alexandre e Matheus ARTIGO FINAL.pdf393,08 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.